O PLANO DE SAÚDE COBRE PROCEDIMENTOS ESTÉTICOS?

O plano de saúde cobre procedimentos estéticos?

Olá Campinas, reduza o tamanho do nariz, remova a gordura desconfortável do abdômen e aumente os seios., fotografe o primeiro par de silicones que nunca considerou usar um plano de saúde para procedimentos cosméticos e provavelmente ficará desapontado com a rejeição do operador. O fato é que a Administração Nacional de Saúde Suplementar (ANS) não exige a cobertura de tais intervenções – a menos que seja reparadora. Pode parecer complicado, mas é realmente fácil de entender. Afinal, O PLANO DE SAÚDE COBRE PROCEDIMENTOS ESTÉTICOS?

O PLANO DE SAÚDE COBRE PROCEDIMENTOS ESTÉTICOS?

O PLANO DE SAÚDE COBRE PROCEDIMENTOS ESTÉTICOS?

A primeira coisa que você tem que entender é que os procedimentos estéticos devem estar relacionados à doença. A legislação brasileira é clara: o operador precisa apenas cobrir a cirurgia estética relacionada à doença. E, mesmo assim, a doença deve ser incluída no plano de saúde.

Por exemplo, neste caso, incluindo cirurgia de reconstrução, uma mulher que teve sua mama removida devido a câncer de mama colocou uma prótese para mastectomia. No caso de trauma e tumores, esse procedimento estético faz parte da ANS. Nesse caso, a ANS reconhece a natureza do reparo e a deformidade causada pela remoção da mama é traumática. Portanto, a cobertura está completa, incluindo o fornecimento de novas próteses, se for necessária a substituição.

Este procedimento está em conformidade com as diretrizes da Organização Mundial da Saúde (OMS). Eles acreditam que a saúde é uma série de ações, bens e serviços que representam um estado permanente de felicidade. Portanto, além de tratar doenças baseadas em órgãos, as doenças devem ser curadas e prevenidas física e psicologicamente.

Entenda as exceções

No entanto, alguns procedimentos estéticos não estão na lista da ANS, mas se enquadram no escopo da jurisprudência. É o caso da cirurgia de redução de mama. Faz sentido configurar esse processo estético como uma medida terapêutica ou preventiva. Seios com excesso de peso podem causar sérios problemas na coluna vertebral e também podem danificar sua mente.

O Supremo Tribunal Federal (STJ) aprovou a jurisprudência da realização de cirurgia extra da pele como parte do tratamento da obesidade mórbida. A partir de então, o plano de saúde deve abranger a cirurgia para remover o excesso de pele do avental abdominal causado pela perda de peso decorrente de cirurgia ou tratamento clínico. A ideia é evitar ou tratar complicações como infecções bacterianas, recorrência de mau cheiro, hérnia etc.

O plano de saúde também pode exigir certos procedimentos estéticos ópticos. A plastia palpebral é uma delas. Quando a pele flácida pode prejudicar a visão, o plano de saúde elimina o excesso de pálpebras. Se não houver relatório médico a esse respeito, considere apenas revitalizar a cirurgia (plástica) e não cubra a cirurgia.

Saiba Mais

Certifique-se de proteger seus direitos, mas lembre-se de estar protegido por lei e advogados profissionais. Algum problema? No entanto, se você não tiver um plano de saúde em Campinas, faça-o assim que possível. Fale com a equipe de vendas profissional para encontrar o plano ideal para você e prepare-se para resolver qualquer problema!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Olá, sou Corretor posso ajudar? whatsapp
Rolar para cima